Aqui você encontrará textos sobre psicanálise, literatura e meus escritos literários.

Precisa de revisão ortográfica? Venha para a Oficina do Texto: Clique aqui!

Leia aqui o texto que inspirou o nome do Blog!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Os homens e o dia dos namorados

Ontem fui ao shopping e, enquanto andava sozinha e distraída, comecei a notar vários grupos de rapazes andando juntos. Era véspera do dia dos namorados e pelas conversas que tinham entre si, pude notar que estavam procurando os presentes para as namoradas. Comecei a rir, ainda que tenha me compadecido deles. Nos olhares havia um certo desespero, o que os levava a falarem sem parar (coisa de mulher quando sai com as amigas).
Eles, quando saem com os amigos por descontração, já sabem do que falar, não há dúvida, mas quando saem juntos para escolher O presente, sorriem nervosamente, falam que vão comprar isso ou aquilo, zoando. Desconfio que gostariam de pedir a opinião dos amigos, mas têm vergonha. Claro que não estou aqui querendo generalizar, mas ah! Algumas coisas se repetem, não há como negar. Para comprar os presentes pras namoradas, os homens andam em bandos, talvez pensem que podem escolher coisas parecidas para as namoradas. Achei engraçado pensar que os homens ainda possam achar que todas as mulheres gostariam de coisas parecidas.
As mulheres jamais palpitam nos presentes umas das outras, não no do dia dos namorados! Podem até comentar, “ah, comprei isso ou aquilo”, mas me parece que faz parte de uma ética feminina não dar pitacos no do dia dos namorados. Afinal, como Outra mulher pode saber o que MEU namorado quer? Trata-se de uma absoluta intimidade, por exemplo, saber do que o outro gosta, do que está precisando. É fácil perceber se um homem precisa de algo, ele sempre precisa, desde as cuecas e meias furadas, até aquele jogo do vídeo game que tanto gosta. Em geral, é fácil agradar um homem com presente, pois eles sempre gostam de tudo e nunca estão precisando de nada (segundo a opinião deles). Mas as mulheres sempre fazem questão de pensar em cada detalhe, montar um presente com vários artigos que têm certeza que agradarão seu namorado, como me dizia ontem uma amiga. Uma mulher planeja o presente.
Pensando nisso, fiquei com dó dos rapazes que observei no shopping. Como saber o que uma mulher quer? Como saber do que uma mulher precisa? Tentei me colocar no lugar daqueles pobres garotos, perdidos naquela espécie de selva de lojas que é um shopping. Há tantas possibilidades, tanta oferta de produtos. Se tentarem seguir a lógica de tentar pensar no que ela precisa, vão começar pelas bolsas e os sapatos. Ao olhar o armário, verão muitos pares e logo concluirão que suas namoradas não precisam de mais um par ou da décima sexta bolsa. Maquiagem? Como saber que marca ela gosta? Que item falta em sua “necessaire”? Uma base, um pó? Quem sabe um blush? E homem lá sabe o que é isso? Perfume? Mas ela já tem tantos, como pode querer mais um? Pobres homens. Que angústia devem sentir em cada dia dos namorados. Alguns chegam a romper o namoro dias antes por causa da crise de pânico que se aproxima.
Posso apostar que o que os homens querem é agradar suas namoradas. E escrevo no plural, porque os homens conseguem se somar. Quanto à mulher, posso dizer isso sem medo de errar, tudo o que quer é saber que seu namorado escolheu algo que tinha a ver com ela, com as coisas que ela gosta. Não precisa custar caro, desde que não seja o que a vendedora da loja ou qualquer outra mulher escolheu segundo seu próprio gosto. Porque o que quer uma mulher só se pode mesmo saber uma a uma, elas não se somam. Por isso, se algum homem estiver lendo esse texto, pode comprar a bolsa que acha que ela gostaria, mesmo que ela já tenha mais de quinze. Pode comprar o trigésimo par de sapatos, se ela não gostar, poderá trocar, mas o que importa a ela é saber que é única.

Isloany Machado, 12 de junho de 2014.

Feliz dia dos namorados!    

3 comentários: