Aqui você encontrará textos sobre psicanálise, literatura e meus escritos literários.

Precisa de revisão ortográfica? Venha para a Oficina do Texto: Clique aqui!

Leia aqui o texto que inspirou o nome do Blog!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Um lacaniano roxo

Outro dia ouvi alguém dizer “Fulano de Tal” é um lacaniano roxo. Fiquei a pensar no que ouvi e, a princípio achei que isso era bom, isso de ser um lacaniano roxo. Imaginei que esta tal pessoa soubesse muito de teoria. Depois comecei a pensar em todas as referências que tenho para definir o que quer dizer quando alguém é alguma coisa “roxo”. Dizer que se é roxo por alguma coisa significa que se é extremamente apaixonado por algo. Mas tem que ser tão apaixonado, mas tão apaixonado, que não caiba mais nada na vida daquela pessoa. Alguém pode ser roxo no amor por seu time, por exemplo. Em decorrência disso, brigar de soco com os outros roxos de outras torcidas.

domingo, 18 de maio de 2014

Pacote Flácido


Hoje li a notícia de um suicídio. A única coisa que me choca mais do que isso é saber de linchamento. Mas suicídios mexem com meus bofes de tal maneira que sinto um trancamento na altura do esôfago, como uma bola de fogo. A notícia dizia:

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Carta 15 - Sobre as primeiras palavras e o domingo à tarde

Oi meu querido!



Mal voltei e já estou com saudades. Ah, maldita saudade, sempre. Como você cresceu...e está tão bonito! Achei o máximo quando sua mãe me contou que uma das primeiras palavras que está falando é “outro”. Sim, eu entendi que você a usa para dizer que quer outra coisa, mas sabe, minha cabecinha fértil imaginou tantas coisas...Agora você já sabe que existe um Outro! Muitas vezes seu inferno será justamente este Outro. Lembra do Senhor Freud? Ele dizia que “o sofrimento nos ameaça a partir de três direções: de nosso próprio corpo, condenado à decadência e à dissolução” ou mesmo das dores de viver; “do mundo externo, que pode voltar-se contra nós com forças de destruição esmagadoras e impiedosas; e, finalmente, de nossos relacionamentos com os outros homens. O sofrimento que provém dessa última fonte talvez nos seja mais penoso do que qualquer outro.” Olha que coisa incrível isso! E você faz sua estreia no mundo das palavras justamente dizendo da existência do outro. Morri.

sábado, 3 de maio de 2014

Carta 14 - Sobre lobos, fadas, bruxas e princesas

Oi querido, quanto tempo?!
Me desculpe por ter ficado tanto tempo sem te escrever. Sabe o que aconteceu? Eu estive pensando que tenho sido muito dura com você nestas cartas todas. Não sei se deveria estar te dizendo essas coisas assim tão cruamente. Eu só queria que você soubesse como é o mundo, mas depois pensei: bem, esse é o meu mundo e a forma como o vejo, será que não estou sendo cruel demais com você? Então repensei e por isso demorei tanto para escrever de novo. Acho que podemos começar pelos contos de fadas. Que tal? Você gosta de historinhas? Posso te contar algumas. Bem, vejamos, que tal começarmos por Chapeuzinho vermelho?